quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Mulher moderna assume o que faz!

Estávamos, eu e uma velha amiga, num parque arborizado e tranquilo daqui de Sampa e durante uma longa conversa um Anjo a inspirou a me sugerir o nome para este blog (que a princípio seria - Universo Feminino: sexualidade, poder e humor).

Mas a história começou bem antes deste fato e somente de pensar em revelá-la a tantas pessoas sem rostos, sem nomes, sem endereços, já fico eufórica. Por outro lado, quando penso em tantas outras pessoas que me conhecem há tanto tempo, que me idealizam ou que compram a imagem tão discreta que tenho ao expor minha vida privada (ou seja, essa minha característica de ocultar tão bem as merdas que faço); quando penso nelas, me dá uma baita vontade de voltar atrás e apagar tudo o que ainda nem escrevi. Seria com toda a certeza o caminho mais fácil, contudo não é esta a minha nova proposta de vida. Preciso encarar o bem e o mal em mim para, somente então, conseguir trilhar o caminho do meio, também conhecido como equilíbrio e serenidade: o universo do-EU! E ainda que venha a doer, e eu sei que dói, vale a pena me comprometer em trilhar este caminho.

Enrolação à parte, lá vai a "história"...
Num sabadão a tarde fui a um “churras” com uma turma m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a que conheci numa viagem à Santa Catarina. Semanas antes havia viajado com algumas amigas da “facu” e lá nos enturmamos com esta galera, foi legal. Fizemos amizade e , já de volta a Sampa, resolvemos marcar uma confraternização, este tal churrasco! E lá fui eu, levando as canecas de alumínio compradas lá na festa, daí passamos a tarde rindo e adentramos a noite bebendo. Bebemos pacas (com exceção dos que iriam dirigir). No final da festa, como todos sabem, sempre fica a galerinha da saideira e eu no meio, é evidente.
Tinha um garoto, o primo do meu amigo, que conversou comigo sobre politica - sinceramente não lembro nada do que ele disse nem do que respondi - mas achei que o cara era inteligente. Sempre considerei inteligência um afrodisíaco e quando misturada à bebida, caramba que tesão (sinceramente, a bebida faz o feio ficar bonito tanto quanto faz qualquer um parecer mais atraente) e resolvi "ficar" com ele ali mesmo...
Tenho certeza absoluta que nem eu nem ele sentimos nenhum outro prazer que não a adrenalina de transar sobre a muretinha-do-gás que ficava lá nos fundos da casa. De resto, só prejuízos! Arranhei meu relógio de estimação e fiquei com dor na virilha (mas na hora não me importei). E para fechar a noite com glamour, na sequência, fomos flagrados - literalmente - com as calças nas mãos. Enfim, fui para casa, bêbada, e dormi. Dormi sentada na privada por pelo menos duas horas.
Resultado físico: dor nas ancas (por ter dormido sentada), dor de cabeça pelo excesso de álcool na veia. Resultado emocional: uma baita "ressaca moral" por ter transado (pela primeira vez em trinta e tantos anos) com um homem do qual eu não sabia absolutamente nada, nada além do apelido e do partido político (como se isto me interessasse). Por fim, resultado mental: auto critica e reflexão.
Claro que sei bem o porquê deste desvario! - Tanto quanto sei o porquê desta pseudo necessidade de auto afirmação! - Quer saber? - É simples, tudo aquilo, foi e é tão comum que parece normal! Beber, trepar, fumar, entorpecer todos os sentidos do corpo e da mente – são coisas que muitos de nós fazem a todo tempo. Aliás, é tudo muito engraçado! Dá prestígio e reconhecimento da galera!!!
Só não sei no que isto me ajudou/ajuda a ser uma mulher mais feliz e mais segura! Sabe de uma coisa? - Não sei se isto acontece com você! - Mas a minha própria consciência me alerta, não precisa nenhum intrometido me dizer, eu sinto quando faço algo – que mesmo parecendo “de boa” - não é legal, e não devo voltar a fazer!
Por isso, naquela manhã, cabisbaixa, fui para o parque! Precisava urgentemente abraçar uma árvore, andar descalça na grama, recarregar minha bateria – conversar comigo - e me recriminar e me penitenciar por ter agido como um homem.
A imagem que normalmente faço de mim é a de uma mulher bem resolvida, que sabe o que quer, que não tem medo de gozar os prazeres que a vida oferece, que arca com as escolhas que faz; que é alegre, moderna e ousada... É verdade: sou independente, inteligente, educada e não gosto de dar satisfação da minha a vida a ninguém. Sou mulher moderna sim senhor!
Mas, neste caso especifico, sou também a mulher (a mulher-macho) que imitou os homens e que não conseguiu amanhecer sorrindo e cantando, ao contrário, sou a mulher que ficou arrazada! A mulher gostaria de ter imitado os homens e simplesmente ter acordado, se olhado no espelho e dito: “ bom dia fodonaaaa! Comeu todos ontem, né gostosona!?”. Mas, infelizmente ou felizmente, não fui tão macho quanto gostaria! E, como muito mulher que sou, assumo minha frustração meu desencantamento, meu mal estar comigo mesma, pela conduta que tive e que não faz parte dos valores que quero fortalecer no eu-Espírito.
Foi então que resolvi criar este blog para falar dos conflitos de me/se assumir mulher, com todas as possíveis fragilidades, neste universo masculino. Para falar de sentimentos e percepções neste e deste mundo prático e veloz. Falar de sensibilidades e suscetibilidades neste cenário moderno e competitivo que faz com que o masculino e o feminino – gêneros que tem características comuns, sim, no entanto são diferentes – se mesclem tanto que, por vezes, se distanciem de sua própria natureza e, com este distanciamento, chegam a comprometer ou causar danos em suas essências.
E, só para avisar, nesta empreitada, nesta busca pelo auto conhecimento, as vezes vou recorrer ao meu “lado masculino" (sim possuo um lado mais objetivo e duro - risos) de ver e de interpretar acontecimentos do cotidiano. Outras vezes vou recorrer ao meu “lado feminino" (sensível e intuitivo) de pensar e de agir. Confuso? - Não, serei somente eu, nua e sem pudores, a desfilar na sua frente!!! 

imagem-copiada-de:www-underwearsclub.blogspot.com

5 comentários:

  1. Caracas...profundo heim? vou ser sua seguidora de carteirinha

    ResponderExcluir
  2. Quebra a perna! Estou olhando pela janela virtual sua farra. Abraço. Wagner....

    ResponderExcluir
  3. Acho que tive particiáção nessa historia...rsrsrs!!!
    hoje em dia temos que perder a cabeça de vez em quando é muito bom...
    bjs!!!

    ResponderExcluir
  4. Iiiiii.... eu também estive presente neste pós oktober rs.... que por sinal foi maravilhoso..... adorei a historia Anna..... a vida é muita curta, então temos que aproveitá-la o Máximo....
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Acho que conheço essa historia...(risos)
    Adorei o blog... vou salvar o seu site em favoritos..huahuahua
    Mil beijos

    ResponderExcluir