terça-feira, 10 de maio de 2011

O CARTOMANTE

A previsão:
"Você receberá boas notícias; financeiramente as coisas andam um pouco apertadas mas haverá prosperidade; no trabalho as coisas vão melhorar; você tem muita proteção espiritual; amigos irão lhe ajudar; nas cartas aparece um amor do passado; existem homens casados e solteiros querendo você... Irá aparecer um novo amor em sua vida!"

Resultado da consulta:
Mesmo tendo gasto muito em meus cartões de crédito e tendo um saldo insuficiente no banco - já que haverá prosperidade - posso ir ao shopping e comprar uma roupa nova para eu ir a um aniversário no sábado.

Que bom que as coisas vão melhorar no trabalho, caso contrário poderia ter uma síncope e  dar uma surra numa velhinha que anda me azucrinando as idéias.

Proteção espiritual - sempre tive - todos nós temos; Deus é maravilhoso; tenho procurado pecar menos - com certeza estou merecendo esta proteção.

Um amor do passado? - Caramba, são tantas emoções! Já sei; deve ser aquele casado que me atenta; mas agora não posso mais - por causa que resolvi me purificar.

Com certeza  existem homens casados e solteiros me querendo; eu tenho um sorriso tão largo e sou tão cordial que cumprimento até os postes da rua; daí os caras devem olhar para o meu popozão e logo imaginam coisas... Totalmente aceitável, de meu ponto de vista, tudo na mais perfeita ordem no mundo animal.

Um novo amor em minha vida! Já não era sem tempo; de todas as possibilidades que tenho nenhuma me apetece (tem certa dose de mentira nesta frase), tão pouco me arrebata (isto é verdade), nem arrepio na espinha venho sentindo... Estou num processo de hibernação, dormitando meus sentidos, domando meus instintos; buscando o reequilíbrio entre:  razão e emoção, descrença e fé, auto-controle e impulsividade, egoísmo e desapego, bem e mal, prazer e moderação, vício e necessidade, etc... Resumindo, com tanto esforço assim, mereço mesmo ser feliz - e ter com quem dividir esta felicidade faz parte da dinâmica do bem-viver.

O cartomante até que foi perspicaz. O que me deixa um pouco intrigada é que li as cartas como se estivesse analisando meu extrato bancário: meio-sem vontade (porém acreditando que deveria); nenhuma informação que eu já não pudesse prever; um futuro que depende de minhas escolhas; opções que não me convém por causa do ônus; promessa de melhora devido ao bom crédito que possuo; enfim ouvi tudo sem emoção e sob uma ótica totalmente racional dos fatos. Acho que não vou querer mais ler cartas! kkkk....

Imagem: escritordecontos.wordpress.com



2 comentários:

  1. Ho my god!!!
    Acho que este texto me parece familiar...

    ResponderExcluir
  2. Razão...razão...razão..porque te persegues?

    Domínio próprio? Onde aprendeu isso?

    ResponderExcluir