quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

DESLEALDADE

Antes, em casa...
Dei de beber em seu copo predileto,
mostrei o quadro que pintei no natal.

Contei a história do nosso primeiro móvel,
Ofereci o licor que você ganhou de sua mãe,
Ouvimos músicas e folheamos seu jornal.

A beijei brevemente no corredor e nos sentamos no sofá novo,
Apresentei nosso canto de leitura, nosso cachorro, nosso jardim,
Passei um pouco do seu perfume e fomos embora.

Depois, naquele shopping perto do seu trabalho...
Ela quis assistir àquele filme que você está com vontade de ver desde o carnaval,
Juro, foi tudo o que aconteceu no dia que levei minha amante à nossa casa.


culturamix.com


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

FLAGELADO


Sugaste féu de minhas entranhas;
Num golfar grotesco espeliste teus anseios em meu peito cansado;
Arranha minha pele com tuas unhas negras e faça meu peito descansar outra vez...


A dor que me causa, as agruras a que me submeto são para agradar-te;
                                                  A espera é veneno que mata lentamente...
Ante esta desdita, minha carne treme e implora: arrebata-me!


Venha de uma vez por todas e me possua,
Ondas gélidas de saudade invadem meu sangue;
Faça com que estas ondas se tranformem em calor, calor nas tuas mãos.


  By Anndéia