quarta-feira, 14 de março de 2012

Mangia - Liberdade Cigana!

Água perrier e Château Latife Rothschild 1787. Conjunto com brincos, delicado colar e anel de brilhantes numa diva elegante de olhos claros. Pele macia, lábios molhados e olhar penetrante. Corpo de mulher, ancas fortes, dentes brancos e sorriso largo. Emoção, leveza, cordialidade e rebeldia juvenil.
Tantos atributos poderosos e felinos: sedução, alegria, jovialidade, juventude, frescor, cheiro de virgem, mulher fatal... Sexo voraz!
Companheirismo, carinho e atenção. Insensatez, imprudência, aventura e gargalhar. Tudo exposto e nada se pode tocar, é a lei, é a paga! Beber na fonte e morrer de sede; não se pode tocar harpa no inferno e meter-se a anjo em covil de loba. Ou se pode, e se deve, e se aceita: é assim!
Anjo obsceno de pele alva e lábios carnudos. Menina inocente de bumbum arrebitado. Profissional dedicada e inteligência bem aproveitada, com foco e meta estrategicamente traçada à fibra e garra.
Meiguice e solicitude, botão de rosa colombiana: grande, intensa, sexy, frágil e vida. Vida, vida, vida!!!
Plenitude, barco à vela em mar bravio, menina a empinar pandorga no olho dum tufão: o vento sopra-lhe os cabelos e o olhar infantil a contrastar com a boca vermelha (batom à Moulin Rouge).
Moça - daria meu diploma, menina - daria meu colo, amiga - daria meu calor, mulher - dar-lhe-ia tudo... Tudo por tua atenção, ainda mais por teu sorriso, o infinito por tua voz ao meu ouvido, minha alma para tocá-la.
Sou homem feito, sou menino esperto, sou malandro e belo, sou moderno e sagaz, sou truculento e arrogante, sou feio e inteligente, bebo pouco, rezo muito, pago dizimo, planejo e aconteço, ato e consumo, sou bobo e animado, sou macho, sou homenzinho, sou vivido... E todos os que sou ajoelham-se e clamam aos céus: queremos poder adorá - la!
Os deuses riem-se e brincam conosco...Se tu, adorada, soubesse e quisesse usar do teu poder para nosso mal, ainda assim (ainda assim) correríamos o risco e nos aproximaríamos de ti. Nossa desdita, nossa recompensa: adorar-te! Proteger-te! Ter-te por perto! E se nos conceder a honra, nossa satisfação: olhar-te, devorar-te, amar-te Heloisa Mangia. 
Reverenciamos: tua liberdade cigana, teus mistérios, tuas raízes, tua matéria, teu Espírito...

Um comentário: