terça-feira, 26 de junho de 2012

PARA QUE?

Para que? - É uma sábia pergunta que aprendi há muito tempo, gosto dela por causa da conotação filosófica. Esta questão me soa tão natural quanto dizer alegoria e carnaval, sol e poente, lua e estrela, céu e inferno.
Quando estou me sentindo no céu o "para que" tem o poder de me acautelar para não chegar ao extremo oposto desta sensação; quando me sinto no inferno o "para que" me faz rir, é como se fosse a melhor maneira de rir de mim - e repito e relepito a pergunta até chegar a uma resposta simples. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário