terça-feira, 31 de dezembro de 2013

BEM VINDO ANO NOVO!

"Devemos ser gratos a Deus pelos pequenos detalhes.
 Nos detalhes descobrimos o valor de uma realidade.
 Olhar as miudezas da vida faz a diferença."
 Padre Fábio de Mello

Finda 2013! Que ano bom, bom de acabar! risos... 
Bom pelo aprendizado, bom pelo aprimoramento e resgate interior. 
Muito do que resgatei foi através de angustias e desilusões! 
Como sempre, na balança da vida, ao encerrar mais este ciclo, percebo o quanto tenho a agradecer e o quanto sou privilegiada.
Os destaques merecidos (como dizendo: the Oscar goes to!) são para minha família, pela união e harmonia; para minha "religião", a Doutrina Espírita Kardecista, por ser a base firme e essencial para a alegria e renovação de minha fé em Deus e nos homens de boa vontade e, finalmente, para meus amigos queridos, alguns meio distantes pelas contingências da vida, que me são bálsamo bendito nesta árdua caminhada.
Sou grata a Deus e ao amado mestre Jesus por se fazerem presentes em minha vida, em todos os momentos, através de pessoas amáveis - carismáticas - bondosas e desafiadoras.
FELIZ 2014! 

Imagem: pt.dreamstime.com

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

TRÊS PILARES DO (MEU) AMOR

Ontem, conversando com um querido amigo, me foi descortinado um modo muito prático para estabelecer um novo relacionamento amoroso. Palavra chave: compatibilidade! São três os pilares essenciais:
1. Compatibilidade Intelectual;
2. Compatibilidade Sexual;
3. Compatibilidade Emocional.
A primeira é muito, muito fácil. Toda pessoa tem alguma expertise, algo que execute muito bem, algum dom inusitado, um conhecimento profundo sobre determinado assunto ou técnica; este é o primeiro passo para se obter o reconhecimento e a admiração numa relação seja ela profissional ou pessoal. E quero ir além, é preciso time conversacional, saber ouvir, falar e calar nos momentos certos, é necessário ser inteligente e perspicaz para compreender e respeitar esta necessidade. Especialmente no meu caso, gosto muito de ouvir, sou quieta, sou discreta na maior parte do tempo, contudo há momentos em que estou bem comunicativa, eufórica e extrovertida. Não estou o tempo todo e em todos os grupos agindo da mesma maneira. Meu amor precisará ser habilidoso para aproveitar estes comportamentos variáveis para me conhecer melhor. Se ele for do tipo que fala muito e o tempo todo, com toda certeza nos daremos bem. E mais certo ainda é que se não parar um instante para me ouvir, quando eu quero falar e não quando ele quer que eu fale, poderá perder e minar todas as chances de me conhecer melhor. Além de tudo é necessário dosagem e integração de humores; o sarcasmo é meu humor predileto e as vezes me concedo a liberdade de fazer graça com coisas sérias, tenho facilidade de voltar ao tema (após a piada) com a mesma interação. Verdade seja dita há horas que exagero nas piadas, então se meu amado não tiver flexibilidade e raciocínio rápido ficará perdido ou mal humorado.
A segunda coisa, parece simples, mas não é, alguns de nós refere-se à tão conhecida "química sexual"  e ela realmente existe, aliás, é de suma importância. Através dela podemos com um toque suave de mão na pele do outro saber se gostamos e se há compatibilidade. Outro fator que pode nos ajudar, quando não nos atrapalha, é o beijar. O beijo pode ser muito bom e não garantir uma boa performance sexual! Pode sim! Às vezes podemos confundir nossos sentidos, o desejo sexual é instintivo e irracional. Acredito que há bocas e corpos que se encaixam com perfeição, orgasmos múltiplos garantidos, durante um longo período, período que de repente (do nada) acaba. É finito! Assim como há beijos "medianos" onde as bocas se estranham, as línguas se atrapalham, corpos que se dispõem a conhecer um ao outro de maneira tímida e que depois do período de adaptação se transformam em tremenda sintonia de prazer e intensidade energética. Seria como fazer pulsar clitóris e coração numa forma tão arrebatadora que a vibração, se fosse comparada à bateria de escola de samba,  faria esta parecer musica de ninar. 
A terceira base, não sendo esta a ordem dos fatores, compatibilidade emocional. Será maravilhoso o relacionamento que puder ser pautado na mesma intensidade e duração das reações afetivas. Reações afetivas: sua alegria é minha alegria, sua dor me causa penar, seu sorriso ilumina o meu, as pessoas que a amam são preciosas para mim, as pessoas que me amam são bem quistas por você. Suas conquistas me enchem de admiração! Minhas conquistas são aplaudidas e valorizadas por você! Sintonia sentimental em intensidade, qualidade e duração! Outro requisito é que haja verdade verdadeira entre o que se nos apresenta e o que existe nos bastidores do ser. É preciso deixar transparecer aquilo que somos, o que gostamos e desgostamos, na mesma medida, é preciso a contrapartida por parte do parceiro. Quantas vezes mais vamos nos iludir e nos deixar iludir pelo que gostaríamos de ser ou ter ao nosso lado? Lógico que não posso determinar este entendimento no outro, mas posso ter a consciência de que para grandes mudanças há sempre uma primeira decisão, um primeiro passo. Ser honesto e transparente, respeitando o direito do outro agir e escolher; buscando promover atitudes que se harmonizem com nosso real modo de pensar, assim devemos pleitear nossa relação amorosa com outro ser.
Serei muito franca: não havendo estas três compatibilidades, não estarei satisfeita!

Imagem: creiaemcristo.com.br


terça-feira, 22 de outubro de 2013

TEORIA DA PILHA

Uma pilha, qualquer pilha, destas que colocamos em controles remotos, brinquedos e relógios de paredes; pois bem, uma pilha!
Pilha que funciona como bateria gerando energia para colocar as coisas em movimento, os objetos trabalhando, os controles controlando. Pólo positivo e pólo negativo, um no fundinho outro na cabecinha, ambos funcionando em sintonia, numa dinâmica tão comum para nós que apenas usamos sem sequer raciocinar o processo.
Preguiçosamente, vou continuar sem raciocinar o processo, este pelo menos. Ocorre que percebo atuando também em pessoas, vários de nós, estes mesmos pólos (pronto descobri a America). Existem inumeráveis mocinhas "pilhas" e mocinhos "pilhas". Estou falando da dinâmica cíclica e geradora de dependência causada pelo Yin e Yang  das relações afetivas.
Já reparou como a mocinha e o galã das novelas vivem se desencontrando, fica junto separa, separa fica junto, briga chora beija some!? No dia a dia também podem ser observadas situações de ata e desata afetivo; só que a ruptura definitiva é protelada e relegada ao descrédito, fato este que reforça a saga "entre tapas e beijos".
Estou pensando, sinceramente, que os desequilíbrios geram mais longevidade às relações que a busca por uma contínua conduta serena-alegre-respeitosa. Pensa que estou brincando? Como gostaria de estar!
É por estas e outras "pilhas" que estou alerta: ando a procura do botão "open" da porta da nave espacial que me trouxe até aqui. Vou imitar os mortais "pilhados": ora aliso e tateio carinhosamente, ora dou socos e ponta pés, ora dou gargalhadas depois choro, ora faço ar de choro e riso tristonho. Aposta quanto comigo que meu desequilíbrio enternecerá o piloto da nave e a porta se abrirá para eu entrar?
Mas se isto acontecer, daí a minha teoria de que não pertenço a este planeta estará desbancada, serei provavelmente levada para pesquisa como uma "pilha comum" que acreditava ser "gente diferente". Se eu pudesse ser, ao menos, recarregável...


domingo, 25 de agosto de 2013

GRATIDÃO E AÇÃO!

Há alguns dias atrás completei anos, anos bastantes no sentido de quantidade e não de suficientes. Estou bem, muito viva e consciente de meus progressos, aprendendo com meus erros passados, aprendendo também a reconstruir minha fortaleza interior, fortaleza a qual me é abrigo e proteção.
Muito satisfeita com as amizades que fiz ao longo destas décadas, feliz com a família que tenho, pronta para amar e ser amada, bem disposta para o trabalho e a ascensão financeira, grata a Deus pelo progresso espiritual e pelas novas responsabilidades adquiridas a partir de meus novos conhecimentos e pelo despertar de velhos conhecimentos.
Agradeço a todos os meus ancestrais, agradeço aos meus pais pela herança genética (até mesmo pelos "ites" não salutares que herdei sem poder reclamar). Agradeço aos meus professores acadêmicos, agradeço aos meus professores da vida pessoal,  agradeço aos meus coleguinhas, dos mais chatos aos mais queridos; agradeço às casas nas quais morei ao longo destes anos todos; agradeço a acolhida que tive em diversos lares e corações que me acolheram e ainda acolhem; agradeço pelo trabalho e pela qualificação que tenho; agradeço pelo alimento da alma e do corpo; agradeço pelas dores e padeceres; agradeço pelas gargalhadas e abraços festivos; agradeço pelo consolo e abraço fraterno; agradeço pelas lágrimas de emoção; agradeço pela beleza ostensiva e pela beleza tímida e discreta... Agradeço pelo mar! Agradeço pelo sol do qual me escondo por ser branquela! Agradeço pelas viagens físicas e extra-físicas! Agradeço pela Lua, ah, como agradeço pela LUA! Agradeço aos amigos espirituais por intercederem por mim perante Jesus o filho de Deus. Agradeço por tudo e a tudo agradeço!


terça-feira, 30 de julho de 2013

SINAIS

Louca que fui,
Acreditei em dominio próprio,
Quando de próprio nem patrimônio tenho.

Feliz que sou,
Não pude conter sentimentos,
Acreditam em jejum e devoção,
Quanto menos os alimento mais energia.

Certamente não me entrego sem luta;
Quanto mais queda de braço
Mais proximidade e sintonia.

O humano cansaço deitou-me em duros solos,
Acima do nível do mar, abaixo do nível de amar; 
Desisti de ter, desisti de ser, desisti de sentir,
Desisti de lutar... 

Nessas descontruções,
Encontrei outros sentidos, outras sinalizações,
Menos o PARE.


domingo, 28 de julho de 2013

POR VOCÊ EU VIM!

Há quantas caminha a humanidade em mim? Qual a profundidade de suas raizes em mim? Que tanto de raízes posso arrancar destes sentimentos sem comprometer os melhores frutos de minha existência atual?

Preciso mesmo de uma terapeuta para compreender o que é  inútil e ineficaz? Quantas vezes já disse estar cansada e, mesmo assim, não me permiti parada para refazimento? De que tanto de paz se refaz um sonho? Quantas histórias diferentes podemos vivenciar dentro da nossa?

O melhor amor é o que passou ou o que ainda poderá surgir? Quantas pessoas acreditamos nos dever obediência e gratidão? E se fossemos nós os devedores? É pobre a ilusão? É rico o perdão?

Preciso realmente me impor estes limites? Por que as fronteiras mudam de lugar quando sinto vontade de ir além? De quantas faces se formam meu reflexo? Toda forma de ver é congruência da realidade? A verossimilhança é mais plausível que a própria verdade? 

Em que país mora o menor homem do mundo? Quantos lápis de cor eu tive quando criança? Gostei de um menino com nome esquisito? Por que mulheres estrábicas me parecem sexy ? 

Quanto tempo falta para voltar a sentir aquele velho abraço? As luvas tomam sempre as medidas das mãos que as vestem? Por que sinto que não caibo em mim, como se minha pele não comportasse o tamanho do meu Espírito? 


Por que eu vim?

lindaciganadooriente.blogspot.com


segunda-feira, 15 de julho de 2013

MUDA SEMENTE (SEM MENTE)

O exercício do não dizer, não dizer diretamente, não dizer explicitamente, não dizer com palavras, não dizer no olhar, não dizer no falar, não dizer no gesticular, não dizer no silenciar... Este é o desafio! Esta é a ordem!
E quem disse que quero ser desafiada, quem me deu esta tal ordem? - Esqueçamos o quem e fiquemos com o para que.
Para que não dizer? - Para que haja tempo de amadurecer, tempo de fenecer, tempo de crescer, tempo de secar, tempo de enraizar, tempo de decidir, tempo de retroceder, tempo de definitivamente dizer e de não dizer.
Mas afinal de contas o que se tem a dizer é tão secreto e tão imperscrutável que de só não dizer jamais se saberá? - Não, porque antes de dizer nós pensamos!  O pensamento formado gera sentimento, sentimento é comunicativo e alardioso, não cabe em si, se manifesta metafisicamente, busca seus objetivos com o poder da atração. Sentimento é como uma trepadeira que cresce dentro de nós, antes que se de conta haverão folhas e caules brotando para fora de nossas muralhas.
Sentimento reprimido é como a ponta de um iceberg, uma armadilha em si, que tanto pode ferir quanto afundar a nós e a quem se aproximar.
Então, melhor seria poder deixar vir à tona os sentimentos!? - Não, o correto mesmo seria arrancar-lhes a raiz e o adubo, deixá-los com sede e abafá-los. Chorá-los e gozar de suas ausências! 
Para que? - Para depois passarmos longos e inquietantes dias tentando nos lembrar de como expressar algo em nós que pereceu muda sem germinar semente!? Decididamente estou a fim, muito a fim de exercitar o falar, o falar, o falar, o falar... Inevitável falar! LIBERTADOR FALAR!  TRANSFORMADOR FALAR!

terça-feira, 2 de julho de 2013

SENHOR, PARA QUÊ?

Como dizer a Deus que os fatos de eu não entender certas atitudes e o "não honrar a palavra" que noto em alguns camaradas me deixam FULA? Como dizer ao Senhor do macro universo: "olha, cara pálida, tá difícil segurar a vontade de pegar aquele/a cidadã/o pelo colarinho e torcer até fazer torniquete no pescoço deles?!" - Como dizer isto, se a confiança que digo depositar Nele é tamanha e sem limites, como posso sentir vontade de dar porrada na fuça destes,"destes ditos cujos", se eles são meus irmãos?
Caramba, vai tomar café quente na xícara de alumínio e depois enfiem os dedos nas friezas destas caras lavadas de privada sem sache, seus culhões duma figa, seus bolhas de sabão - sumam e se desintegrem com o vento!!!
Mas eu estou bem! Admiro Gandhi! Admiro Chico Xavier! Sou devota de Nossa Senhora Aparecida (mesmo não sendo católica)! Gosto do Preto Velho! Sou fascinada pela Cigana! E Salve Ogum (mesmo antes da novela da globo)! E Jesus? - Este nem se fala! ...."Jesus Cristo Salvador Fonte Eterna de Bondade, auxilia-nos Senhor a conquistar a verdade, dai-nos forças para sermos os arautos do teu amor, testemunhos verdadeiros do evangelho redentor!". (Este é um trechinho da música que cantamos lá no Centro Espírita antes das aulas).
Com todo este conhecimento, este esclarecimento  me sinto envergonhada em admitir o quanto minha consciência ainda tem que aflorar e o quanto preciso melhorar.

Mas entendo perfeitamente aquele ditado: " Senhor daí me serenidade, porque se me deres força - ah, eu bato neles!". Bato mesmo! Saco da maricota aberta!!! Afff....


quarta-feira, 19 de junho de 2013

Vou perguntar ao meu sobrinho: AMOR É COMERCIAL DE MARGARINA?

Nunca fui boa em quebra-cabeças, sempre preferi as imagens e paisagens inteiras. Esta coisa de pegar as pequenas peças e me concentrar para montar o todo me agonia. Minha mente não me auxilia, ao contrário, porque minha impulsividade me atrapalha. Só penso nisto como burrice minha quando observo meu sobrinho, ágil e esperto, montando os quebra-cabeças dele (ele tem quatro anos). 
É que tenho mais facilidade de observar somente o macro e para chegar ao micro tenho sintomas de dislexia e azedume de humor.  
Pergunto-me qual é a forma correta de ver, dimensionar e projetar o mundo, como resposta, me lembro da música cantada por Milton Nascimento ( "o trem que chega é o mesmo trem da partida..."), sendo assim, acredito que há que se fazer os dois trajetos percorridos pela ação do fluído cósmico universal e a fração humana que habita a terra...rs... (pausa paranóica). Ou seja, ambos são importantes, o micro e o macro, para que possamos compreender a nós mesmos, o poder dos sentidos sobre nossa percepção e direcionamento e, para nos conhecermos melhor precisamos pensar o grande e o digerir o pequeno. 
Precisamos uns dos outros, meu sobrinho de mim para chamá-lo atenção ao todo da imagem e eu dele para aprender onde as peças se encaixam. 

No amor deve ser assim também: enquanto um cuida de arrumar a cama o outro faz o café, mas na imagem que projeto, ambos estão sempre juntos à mesa e a casa está sempre arrumada como num passe de mágica.


quinta-feira, 13 de junho de 2013

NUA

Eu nua no espelho da casa do Wagner!? (http://garrafaplastica.blogspot.com.br/hoje,aqui.12/06/2013).
- Fiquei imaginando a cena: eu gordinha, tetas caídas (bem bicho vaca), pele brannncaaa, sorriso largo, olhos brilhantes e descarados... No começo assusta, depois fico bonita pra caramba, é quase uma auto hipnose. Gosto muito de ser eu,  me sinto bem comigo e espírito habito meu corpo com conforto e alegria.

Daí me lembrei do dia que fomos eu, Silvana e nossa amiga Amarela a uma praia de nudismo no nordeste... Fiquei tão excitada e feliz que fiz xixi e fiz um rastro que mapeou meu caminho até o mar. Lá as ondas batiam e subiam batendo dos pés ao pescoço, nas partes intermediárias quando batiam, uau! Será que transei com o mar? Mas o melhor veio depois, não contentes com a naturalidade de estarmos peladas numa praia de nudismo (o politicamente correto), fomos nadar ao final da tarde, com um pôr de sol maravilhoso, bem no finalzinho duma praia comum... As idiotas acreditávamos que ninguém nos veria, e fez-se uma parede de homens que gritavam e mexiam conosco...kkkk. Tivemos que ficar lá bastante tempo esperando eles irem embora e, rezando para que não levassem embora nossas roupas. Na volta, a estrada em breu total, nosso buggy com pouca gasolina e nós logicamente rezando novamente, quando olhamos para o céu... Desligamos o carro, estrada cercada de mato por todos os lados e, Deus acendeu todas as estrelas do céu para nós. Aquele céu preencheu nossa alma de espanto e agradecimento. Não me lembro dum dia, depois deste, que eu tenha sido tão feliz e banhada da presença de Deus. Comunhão total com meu corpo, minha mente, meu coração e VIDA ao redor e além. Obrigada meu amigo, você me ajudou a reviver tudo isto. 

quinta-feira, 9 de maio de 2013

AMOR À DISTÂNCIA


Amor à distância
"Se porventura, a vida separou alguém de vós, por motivo que desconheceis, não entristeçais. Deus é muito mais sábio do que julgais. E, se amais verdadeiramente esse alguém, ele está em vosso coração, pois os recursos para tal podeis desenvolver, e as distâncias não existirão mais. Se por acaso sofreis a estranha doença da melancolia, com saudades profundas de alguém que não conheceis no presente, não desdenheis a vida por esse fato. Essa alma existe em algum lugar e também sofre, com certeza, as mesmas consequências. Sede inteligentes: apurai os sentimentos, desdobrai a tolerância e aumentai a fé em Deus, que o encontro há de se dar por sintonia, pois na matemática divina, a equação é...AMOR". Horizontes da Mente, Miramez, João Nunes Maia  (7.ª edição, 1992, Editora Espírita Cristã Fonte Viva, Brasil, p.161).


Caríssima Amiga,
... Não, não estou triste não; só saudosa de ti! Quando chegaste em minha vida, ou de teu ponto de vista - quando eu cheguei à tua, nem tinha noção que se tratava de Amor com A maiúsculo. Eu, tão despreocupada  de amar, amava-te com devoção. Mensurar boas ou más qualidades era coisa descabida. Nunca apontei os teus ou tu apontaste os meus defeitos, sofríamos resignadamente uma pela dor da outra. Havia sintonia no olhar e no pensar, embora pensássemos e agíssemos tantas vezes diferentemente, ora, sempre respeitamos nossas individualidades - e isto jamais precisou ser questionado. 
Sinto pena de mim por não ter aproveitado melhor teus abraços; é que não sabia que um dia sentiria tanta falta deles. Conheci o significado de altruísmo contigo, serei sempre grata por este ensinamento. Tu sabes que procuro não pensar em ti, é uma atitude espontânea - uma defesa, mas quando me ligo em ti sinto como se tu tivesses partido ontem. Teus espaços em meus sentidos jamais serão preenchidos. Aquele dia que, mesmo com amor, cozinhaste tão mal; dia em que comi e, com o mesmo amor, menti que gostei (lembra?); sinto falta daquela atenção costumeira e daquele desvelo amoroso...
Mas definitivamente não estou triste! Choro de saudade, baita saudade de ti! Vinte anos de saudades! Já doei aquelas roupas, guardei no fundo do armário a tua letra e tua foto, me distanciei de tudo o que é físico que me faça querer materializar tua presença. Não preciso destas coisinhas, preciso é de ti! 
Meu coração transborda de amor por ti! Quando sonhei contigo aquele dia tive certeza que estavas bem, fiquei imensamente grata a Deus por poder me certificar de teu restabelecimento, por isto não estou triste.
Lógico que se disser que estou feliz estarei sendo parcialmente verdadeira, afinal de contas na equação do amor ainda estou em exame por causa do meu egoísmo, gostaria mesmo é que nunca tivesses partido.
...Então, eu daqui envio a ti aquele meu olhar embevecido de admiração e afeto; segue também meu encantamento inocente (por favor, guarda contigo); quero que fiques também com a chave de teu refugio em meu coração (sei que lá te sentiras sempre segura); em anexo observa relatado o quanto tenho progredido e, após ler, jogue fora as confissões que outrora quis, mas nunca lhe fiz (sei são pecados vencidos e tolos, pode rir!); por último (jamais por fim) receba meu abraço e meu sorriso largo.
A você: meu melhor AMOR!!!



quinta-feira, 7 de março de 2013

MUDANÇAS ACONTECEM RÁPIDO

A palavra mudança, que significa “muda que dança, muda como sendo pequenina planta originada da gestação duma semente...e dança, ou seja, balanço ao som duma música ou mesmo ao bel sabor dum sopro, do vento” – (só Jesus na minha causa!).

Esta palavra de três sílabas (eis algo que realmente faz sentido, o número três!) que balança, remexe, tira do lugar, des-eixando (palavra nova: tirando do pseudo-equilíbrio) a alma d'alguns inflexíveis que habitam este lindo planeta.

Quantas vezes se ouviu falar ao longo desta existência, a seguinte frase: "não gosto de mudanças". E quantas vezes esta frase assolou à todos, criando vida, chegando e repaginando tudo ao derredor sem mais quaz-quaz-quaz...

Isto posto, não tenho queixas não senhor, não senhora não tenho queixas. Os queixumes atrapalham o bom (ao princípio, não tão bom) andamento da tal mu...(sabe o que!). Reluto em aceitá-la, sim, como reluto em dar-lhe nome, porém nada mudará (droga, nada alterará) o fato: mudanças acontecem rápido! Senão, vejamos.

Os ciclos: primavera, verão, outono, inverno; minguante, nova, crescente, cheia; embriogenese, desenvolvimento fetal, nascimento; nascer, crescer, reproduzir, morrer; semente, água, algodão, pé-de-feijão... Mudanças são de suma importância para a manifestação da vida dentro e fora de nós!

Então, "cargas d'água", porque esta dança sob o efeito do magnetismo humano (música) ou, ainda, sob o efeito do magnetismo do universo (o sopro divino), repito - porque esta dança vital é tão angustiante para muitos de nós?

Tive que rezar para voltar um tantinho ao meu pseudo-estado-de- equilíbrio e, finalmente, dona de algum bom senso, agradecer a DEUS por estas oportunidades que tenho tido. Conversei com meu     amado mestre e meus espetaculares intercessores, falei o seguinte: "agradeço por isto, isto, aquilo, aquilo outro e mais um tanto de coisas Senhor; depois de manifestar gratidão deu vergonha de pedir, mas superei e disse - Senhor estou totalmente perdida, não sou mais dona de mim, não sou mais dona do discernimento e da clareza, tenho estado como uma folha seca exposta ao vento sem tréguas, Meu Senhor me sinto perdida e minha bússola interior me aponta inúmeros caminhos e por nenhum deles decidi trilhar... Sendo assim, decido, Senhor: seguirei teus desígnios, onde quiseres que eu vá - irei, se o melhor for que eu fique - permanecerei, se eu tiver outras jornadas diferentes destas que vejo no horizonte - que eu as enxergue, devolvo a ti Senhor (sem me acovardar ou retroceder) o mapa racional de minha jornada e, sem medo, entrego a ti minha emoção, entrego a ti minhas lágrimas, entrego minhas dúvidas, por favor (por favor, imploro) transforma minha mente em terreno frutífero! Que eu possa trabalhar onde quer que Tu me queiras trabalhando, que a minha família seja aquela que Tu queiras que eu tenha, que minha luz brilhe e ilumine àqueles que dela precisarem. Senhor, abranda o turbilhão que se fez presente em mim e aclara minha mente, potencializa minhas energias positivas e sensibiliza meus ouvidos d'alma para que eu possa compreender tua mensagem através da minha intuição. Confio em Ti Senhor! Desculpe-me por vacilar! Muito obrigada por me amar!".

- Aconteceu que mudei o meu padrão vibratório! Deixei aos cuidados de Deus as mudanças que me são necessárias nesta encarnação e, com toda minha fé, me comprometi a TRABALHAR, a fazer minha parte INDEPENDENTE da atitude do outro, me comprometi a ACEITAR o que eu não posso mudar.

www.disneymania.com.br

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

RENASCER, SIM!


Maravilhosa pele sob minhas garras, relevos macios sob saliva quente e beijo doce... Língua fria sabor cabernet sauvignon, dança erótica em ambiente pequeno-quente-sonoro.
Boca seca, lábios molhados, dedos e toques ritmados, pele e calor difundido. Fundido!!!
Brandura e paz profunda, ardor e vigor sensual, sensação de festa e silêncio. Cama, gana!!!
Sírius no firmamento: estrela fulgente com dois corações! O amor a luzir vívido! 
O ressurgir do EU, a cura extraordinária através do NÓS, o reencontro CONOSCO. 
... Desde então, tudo é simples, TUDO é possível! 





quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Wagner Pires:  o mago das noites estreladas, o sorriso mais tocante (sarcástico e puro),  nobreza  plebéia cativante, cabelos grisalhos e juvenis que revelam a luz prateada de agitada alma; por fora, quanta mansuetude.
O amo: amo no sentido contrário, com minha ausência, meu silêncio, minha serenidade, minha ousadia pagã, meu pedestal de monstros, minha cruz de neon piscante onde prostradas prostitutas sorriem ou choram a pouca paga de seus enormes pecados.
O amo: no sentido reto, como quando assumimos prazeres anais; no sentido torto, como corpos contorcidos num orgasmo múltiplo. 
Você que sempre me toca, nesta vida, a distâncias seguras, noutras vidas devo ter te amado, pois quando o leio minha carne vibra e o prazer é latente. Na tua racionalidade transgressora e na tua loucura verossímil, eu  reconheço a fala brilhante e espontânea dos que se apropriam e desapropriam de si. 
Bebo tuas palavras! Bebo-as como se fossem mulheres nuas e as absorvo como se fossem homens em riste.  Tua inteligência me atordoa, tuas nuances têm todos os tons, teus textos me fazem acreditar que palavras escritas são agulhas quentes que tatuam e colorem à tinta-vida, à tinta-mente, à tinta-amor. Por isso, Wagner, o amo entre caretas e gemidos! Beijos meu escritor, pis-cadelas meu poeta!


Imagem:exposição São Paulo Mon Amour-http://sp-arte.aonde.org