terça-feira, 2 de julho de 2013

SENHOR, PARA QUÊ?

Como dizer a Deus que os fatos de eu não entender certas atitudes e o "não honrar a palavra" que noto em alguns camaradas me deixam FULA? Como dizer ao Senhor do macro universo: "olha, cara pálida, tá difícil segurar a vontade de pegar aquele/a cidadã/o pelo colarinho e torcer até fazer torniquete no pescoço deles?!" - Como dizer isto, se a confiança que digo depositar Nele é tamanha e sem limites, como posso sentir vontade de dar porrada na fuça destes,"destes ditos cujos", se eles são meus irmãos?
Caramba, vai tomar café quente na xícara de alumínio e depois enfiem os dedos nas friezas destas caras lavadas de privada sem sache, seus culhões duma figa, seus bolhas de sabão - sumam e se desintegrem com o vento!!!
Mas eu estou bem! Admiro Gandhi! Admiro Chico Xavier! Sou devota de Nossa Senhora Aparecida (mesmo não sendo católica)! Gosto do Preto Velho! Sou fascinada pela Cigana! E Salve Ogum (mesmo antes da novela da globo)! E Jesus? - Este nem se fala! ...."Jesus Cristo Salvador Fonte Eterna de Bondade, auxilia-nos Senhor a conquistar a verdade, dai-nos forças para sermos os arautos do teu amor, testemunhos verdadeiros do evangelho redentor!". (Este é um trechinho da música que cantamos lá no Centro Espírita antes das aulas).
Com todo este conhecimento, este esclarecimento  me sinto envergonhada em admitir o quanto minha consciência ainda tem que aflorar e o quanto preciso melhorar.

Mas entendo perfeitamente aquele ditado: " Senhor daí me serenidade, porque se me deres força - ah, eu bato neles!". Bato mesmo! Saco da maricota aberta!!! Afff....


Nenhum comentário:

Postar um comentário