sábado, 20 de setembro de 2014

PRIMEIRA IMPRESSÃO

A primeira impressão não é a que fica! Podemos nos dar super bem com alguém num primeiro instante, podemos trocar idéias de maneira harmoniosa e podemos até chegar a acreditar que temos muitas coisas em comum (que são o princípio do elo em formação). Quando dá certo a sintonia se estabelece com leveza, de forma tranquila e continua.
Só que num segundo momento podemos ficar um tanto quanto intrigados, principalmente quando somos inteligentes e sensatos, quando damos continuidade aos relacionamentos (sejam eles de amizade, de coleguismo de trabalho, de negócios, principalmente os afetivos) e, assim, percebemos que houve um ledo engano, ledo no sentido de inocente/pueril. No entanto cabem nestes apontamentos um pouco mais de transparência e sinceridade... Aí é que o caldo quente entorna na gente!
Cometemos, sim, enganos bobos, aliás as vezes acontece de comprar condicionador ao invés de shampoo; confundir as moedas na hora de pagar pedágio; pegar ônibus errado; cumprimentar algum desconhecido que confundimos com um conhecido; pegar fila errada; etc. Mas cometer enganos bobos nas relações humanas, quando dizemos estar bem alertas, é difícil de acreditar. 
Eu não acredito em mim mesma! O que de fato ocorre é que crio expectativas (mesmo negando-as terminantemente), lanço sobre algumas pessoas reflexos meus (de comportamento, de caráter, de conhecimento, de objetivo e objetividade).
Deste modo, não há engano coisíssima nenhuma, simplesmente confundimos o outro com e por nossas projeções. Como ele não se adequa a estas projeções e com o passar do tempo consegue espaço para manifestar-se como realmente é, recai sobre nós o preço do pseudo engano (também conhecido como frustração).
Devíamos, todos, conversarmos com as pessoas, demonstrando quem e como somos (com o máximo possível de transparência) e só depois, lá pela vigésima quinta conversa de no mínimo duas horas (preferencialmente ao vivo), formarmos a tão conhecida e comentada "primeira impressão", impressão como efeito duma causa moral no espírito (comoção). Esta comoção, sim, como rebuliço alegre n'alma por reconhecer um irmão / uma irmã neste planeta imensidão.
www.fremplast.com.br

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

SE TOCA, POXA!!!

Tenho notado muito claramente que nós seres humanos, principalmente na ala feminina (porque somos mais gaiatas e falamos pelos cotovelos), temos estado um tanto quanto insatisfeitos em nossas relações interpessoais.
Para ser bem especifica, quero falar de relacionamento amoroso e/ou expectativas afetivas ("quasi tutti uguali"). 
Se você é uma mulher liberal, gosta de balada, posta comentários engraçados sobre bebidas alcoólicas e galera que pega geral... Exibe suas formas físicas com poses sensuais, posta fotos explicitando sua vida pessoal, gosta de elogios libidinosos, adora despertar curiosidade, prefere ser vista como uma mulher decidida, (reticencias), e,  ainda mais, expõe rotineiramente suas nuances emocionais (tô feliz, tô pensativa, tô triste, tô deprimida, tô louca, tô possessa, tô bêbada, tô com sono, tô abandonada, tô disponível, tô ficando-pegando-zoando-dando, tô revoltada...)... enfim, se você se encaixa em grande parte destas características mas não sente que está exagerando e sente que é feliz fique sossegada que esta postagem não é nenhuma indireta nem deve ser levada em consideração por você.
Se você mulher está cansada por não ter encontrado seu par ideal, o homem, a mulher da sua vida, se você se vê muitas vezes cansada, triste, com um vazio no peito, cabeça confusa, sem ver sentido na maioria das coisas... É com você mesma que quero falar!!!
Caralho, pára de fazer propaganda auto destrutiva de si mesma! Você não percebe que uma pessoa séria que quer realmente ter uma vida à dois, à duas, contigo não necessariamente terá que aceitar você, suas manias, seus amigos das mídias sociais, seus rompantes, suas baladas,,. sua rotina de solteira e sem noção??? - Sério mesmo que você acredita que quem te ama vai te aceitar como você realmente é??? Sem precisar modificar seus comportamentos estrelinhas, suas carências de expor o tempo todo e tudo o que se passa no relacionamento de vocês??? Você jura que o cara/ a cara tem que ficar numa boa quanto à falta de privacidade no relacionamento??? Por Deus que você crer que você é incompreendido/ incompreendida???
Sabe o que acontece na maioria das vezes, guardadas as proporções e exceções das histórias de vidas de cada um de nós, acontece que as pessoas compram a imagem que transmitimos a elas.
Qual é a sua verdade então? Qual é sua vontade maior? O que sua alma vem pedindo ao ponto de lhe fazer ficar desassossegado/a?
Se é alguém que seja bom pra você, alguém que lhe ame, que lhe respeite, que lhe valorize... Reflita, como eu vivo refletindo ultimamente: você tem sido esta pessoa para si mesma/o? Você tem tido o mesmo comportamento que espera do outro e respeitado os sentimentos das pessoas? Você tem demonstrado nos relacionamentos reais face a face, não facebook a facebook, quem você essencialmente é e o que verdadeiramente deseja? Por fim, você tem culhões, você tem peito para "BANCAR" as mudanças necessárias para merecer ser mais feliz?
Como dizia o "velho deitado": "Semelhante atrai semelhante"!!!