sábado, 13 de dezembro de 2014

RAIVA PASSAGEIRA

Toda vez que se atrasa, ela chega jogando charme, como atriz de cinema em dia de Oscar... É de pegar o coração e atirá-lo pela janela, dizendo: "tu só me complica, seu molenga"!
Por educação, nada além, a deixo entrar. Por hábito, e somente por isso, a ofereço do meu, apenas meu, jantar. (A mesa está posta para duas pessoas, e daí, já ia guardar tudo).
Sabe o cúmulo da cara-de-pau? - É aceitar! E ela aceita!
Já começou a novela, aliás está quase acabando, novela das nove, quase dez horas, e a pessoa fica puxando papo... Aff! Devia tê-la deixado lá fora, mas a vizinha, fofoqueira de plantão - não que eu lhe deva nada - fica esperando ela chegar só para puxar papo (impossível não notar a chegada da rainha do sorriso, que cumprimenta até cachorro na rua!). 
Ai que raiva desta mulher simpática, metida a charmosa, que usa perfume caro até para ir comer pastel na feira, e que cantarola músicas românticas enquanto seca a louça.
Nos intervalos da novela, fica me contando sobre o seu dia; e durante os capítulos fica comentando os detalhes das cenas (até gosto de ver suas caras e bocas, e seu jeito de rir, e a ruguinha que as vezes aparece entre as sobrancelhas), só que não estou para prosa. Hummmm...
Me trouxe gérberas, um bouquet lindo, como se isso fizesse voltar o tempo. Olha, gente sem consciência, se se combina um encontro para as vinte horas, anota na agenda, coloca o celular para avisar. Isso custa? - Porque custa muito ficar na hora do almoço planejando o que fazer para o jantar. Custa muito, sair do trabalho correndo e passar no empório (onde tudo é mais caro) para evitar a fila do supermercado e assim ganhar tempo. Custa muito, correr pelos cômodos da casa para colocar tudo em ordem, e cozinhar algo prático e gostoso, e arrumar a mesa (como se fosse receber visita rara), e escolher um vinho, e ... (já cansada). Custa muito, tomar banho enquanto se concentra no som da campainha, que parece que toca, mas nunca é aqui. Custa muito, gastar meu batom em copo d'agua!
Bem, mas não sou mulher de reclamar! Sou mulher de tentar compreender, mas não antes de protestar! Portanto, eu protesto!!! Não é porque meu racional já entendeu suas razões que meu emocional já se conformou!!!
Agora, se a moça, linda moça,  fizer a gentileza de nos servir o vinho, agradeço! - Que bom que você chegou, senti sua falta! - Agora entendo aquela música que diz: “cada minuto é muito tempo sem você!”.
Imagem de: http://br.freepik.com/

Um comentário: