domingo, 30 de abril de 2017

PALAVRA E ATITUDE


"Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!" - Chico Xavier


"Sou adepto da verdade, mas acho que a verdade não deve ser lançada na cara de ninguém...Jesus silenciou diante de Pilatos. Naquelas circunstâncias adiantava dizer alguma coisa? Nunca prevaleça da verdade para humilhar alguém, a verdade que esmaga está destituída de amor, o que totalmente contrária a lei de Cristo." - Chico Xavier


Ação e Reação, sempre fico observando e refletindo em como posso estar cem por cento segura quando tomo uma atitude pautada em meu julgamento racional e minha experiência de vida e - de um novo modo de olhar as coisas - me colocando no lugar do outro que recebe esta minha ação posso vir a constatar que cometi um erro. E isso acontece! Como acontece? - É que toda ação, pela lei da natureza - como já aprendemos - provoca uma reação em sentido contrário e na mesma intensidade!

Por inteligência e conveniência considero que devo prestar atenção no resultado e nas consequências das minhas atitudes na vida das pessoas. Devo persistir no objetivo de prestar atenção às implicações que minha atitude ou a minha falta de atitude acarreta ao meu semelhante seja ele um parente, um amigo ou um desconhecido.

Não é o fato de virar as costas e seguir minha vida, consciente de que estou sendo justa, que o outro terá o mesmo entendimento de justiça que eu tenho. Para compreender uma situação e sua abrangência é necessário considerar todo o contexto bem como usar de empatia para nos aproximarmos melhor dos sentimentos e valores dos envolvidos - ainda assim precisamos também seguir nossa intuição, nossa voz interior, que é fruto das leis divinas gravadas em nossa consciência.

Consciência! Tão fácil de falar e tão complexo de definir com absoluta certeza! - A vida nos prega peças, muitas vezes pensei estar agindo conscientemente, dona de minha vontade, super esclarecida por minhas sérias reflexões, com total controle sobre a minha verdade e, principalmente, com equilíbrio e justiça... e nessas peças que a vida me prega com o passar do tempo me vi fazendo coisas que não condiziam com minhas palavras.

O fato é que minto! Minto quando falo coisas por acreditar nelas! Só percebo que minto quando o outro aponta minhas falhas ou quando as consequências das minhas atitudes me causam sofrimento ou desconforto. - Isto não é algo fácil de detectar,  a mentira, porque sou capaz de enganar a mim mesma e sem saber que estou agindo assim.

Isto é uma falha que deve ser perdoada, por ser frequente na humanidade, mas não deve ser aceita como normal! A consciência de mim mesma é um desafio que enfrento todos os dias. Aos poucos vão se descortinando em minha mente fatos ignorados, sentimentos sufocados, idéias incoerentes, emoções mais equilibradas, auto criticas menos duras e mais flexíveis... e com isso, vou me permitindo ficar mais a vontade de corpo e alma. Deve ser isto que chamamos de maturidade!

Então estou deixando de ser cega com relação à meus defeitos e ao mesmo tempo estou mais segura das minhas boas qualidades... O que tem sido difícil é encarar sem medo o aumento de responsabilidades que isto acarreta! Também tem sido difícil respeitar o direito dos outros de serem quem, como e quando querem ser... A bem da verdade, sempre tive esta dificuldade por acreditar erroneamente que o que é eficiente em minha vida, o que me dá alegria, será também eficiente e trará alegria ao outro! Deixar o meu semelhante seguir sua vida, tomar suas próprias decisões e  agir segundo seus conceitos e valores, tem sido uma lição e um exercício doloroso...  

Por tudo isso, estou tentando silenciar! Quem sabe ouço a verdade! A verdade com amor, vinda do coração! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário